Será Sines a nova porta de entrada de gás na Europa?
25 fevereiro, 2022 por
| Nenhum comentário ainda

O primeiro-ministro português afirma que "Temos infraestruturas para acolhimento e exportação para a Europa". O grande problema é a distribuição do mesmo pela Europa Central.

Quando se fala de fornecimento de energia, Portugal e Espanha são um extremo no ocidente europeu. Discutimos isto numa altura em que a França vê-se forçada a importar eletricidade mais barata da Península Ibérica e o resto da Europa depara-se com uma dependência de 40% do gás comprado à Rússia

Se olharmos para o mapa, conseguimos perceber a analogia de "ilha energética". A Portugal, o gás natural chega sobretudo por mar, em navios metaneiros, via Porto de Sines. Este é armazenado no terminal de GNL da REN. Por terra, temos apenas dois gasodutos: um que liga Campo Maior a Badajoz e outro liga Valença a Tui. 

Quanto a Espanha, o país está ligado ao gás natural produzido no norte de África por dois gasodutos através de Tarifa e Almeria: o MAGHREB - EUROPE GAS que liga Marrocos, e o MEDGAZ, que liga à Argélia. Na fronteira com França (País Basco e Navarra) há outros dois gasodutos e foi cancelado um projeto para um terceiro que deveria ligar os dois países através dos Pirenéus

António Costa afirmou esta quinta-feira que "Portugal é, felizmente, menos dependente do que os outros Estados da Europa em matéria energética da Rússia"

No dia da invasão russa à vizinha Ucrânia, o primeiro-ministro relembrou todos os dirigentes da UE que se deve considerar "o aumento das interconexões entre Portugal e Espanha com o conjunto da Europa" como "absolutamente decisivo para aumentar significativamente a segurança energética da Europa". Lembrou também que "a articulação de Portugal com um conjunto de países africanos que são fornecedores de energia" e os EUA, pode tornar-nos a porta de entrada de produtos energéticos. É fulcral procurar novas opções e diversificar as fontes de abastecimento de energia à Europa.

Um estudo do think tank belga Bruegel também reconhece que “a Península Ibérica é um hub para terminais de importação de Gás Natural Liquefeito” (gás natural em estado líquido que foi arrefecido para facilitar a segurança de armazenamento e transporte em navios) proveniente, por exemplo, dos Estados Unidos, que até já aumentaram a sua produção para exportar mais para a Europa.


Fonte:

EcoSapo - Sines será a nova porta de entrada do gás na Europa? Costa diz que é possível


PARTILHAR
Iniciar sessão to leave a comment