Concurso para prospeção de lítio avança, mas apenas em seis locais e com metade da área inicial
3 fevereiro, 2022 por
| Nenhum comentário ainda

Anunciado esta terça-feira pelo Governo, a Avaliação Ambiental Estratégica (AAE), promovida pela Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), concluiu que existem seis áreas com condições para avançar com a prospeção e pesquisa de lítio.


Apenas após o procedimento concursal e da fase de prospeção (prazo máximo de cinco anos) é que se poderá iniciar a exploração de lítio. Ainda nesta fase, o projeto terá de ser submetido à Avaliação de Impacto Ambiental. Segundo o comunicado do Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC), nos próximos 60 poderá avançar o concurso para a atribuição de direitos às empresas nas áreas de exploração. 


Inicialmente, eram oito áreas de potencial extração de lítio, mas foi apenas dada luz verde a seis destes locais. A AAE concluiu que as áreas de “Arga” e “Segura”, devido às restrições ambientais, “inibem a prospeção e consequente exploração”. As regiões a concurso serão: 


  • Masseieme (Pinhel, Trancoso, Mêda, Almeida)

  • Guarda-Mangualde C

  • Guarda-Mangualde E

  • Guarda-Mangualde W

  • Guarda-Mangalde NW

  • Seixoso Vieiros (Fafe, Felgueiras, Amarante, Guimarães, Mondim de Basto e Celorico de Basto)



Nas seis áreas selecionadas foram excluídas zonas de maior densidade urbana, funcional e demográfica, tendo ocorrido uma redução de 49% comparativamente com a área inicialmente planeada e sujeita à AAE.


Fonte:

EcoSapo - Concurso para prospeção de lítio avança, mas apenas em seis locais e com metade da área inicial


PARTILHAR
Iniciar sessão to leave a comment