Baterias elétricas mais baratas e sem lítio? Cientistas encontram a solução
20 setembro, 2022 por
| Nenhum comentário ainda

A crescente procura e oferta de mobilidade elétrica em todo o mundo, o aumento dos preços dos combustíveis e o armazenamento de energia proveniente de fontes renováveis são as razões que levam ao aumento substancial da procura por lítio para as baterias. Contudo, as contrapartidas que se impõe a estas baterias é o facto da mineração do material ser poluente e o preço do lítio ser demasiado caro para determinadas utilizações. 

Neste sentido, cientistas investigaram e criaram uma alternativa mais sustentável e barata. A nova bateria feita de materiais baratos e que existem em abundância pode ser a solução ideal.

Num artigo publicado na Revista Científica Nature, um grupo de cientistas do MIT - Massachusetts Institute of Technology - e de outras instituições da China, Estados Unidos e Canadá descreveram uma nova bateria feita com alumínio e enxofre, com eletrólito de sal fundido no centro que, de acordo com Donald Sadoway, um dos autores, é melhor do que as baterias de lítio. O processo para a criação desta bateria começou na tabela periódica. A investigação levou à escolha do alumínio - é o segundo metal mais comum para compra, a seguir ao ferro -, do enxofre - o material mais barato que não é um metal - e do sal fundido - escolhido por ter uma temperatura de fusão baixa e que, por isso, é mais seguro.

A bateria criada tem um custo por célula seis vezes inferior ao de uma bateria de lítio e é capaz de suportar centenas de ciclos de carregamento. Além disso, não necessita de uma fonte externa de calor para manter a temperatura, já que o processo químico que ocorre durante o carregamento e durante o uso faz com que mantenha o calor.

De acordo com Donald Sadoway, citado num artigo do MIT, a nova fórmula seria ideal para dar energia a uma casa ou até a um negócio não muito grande. Para instalações de grandes dimensões, o investigador acredita que há melhores opções. 

Esta nova bateria de alumínio e enxofre poderá também ser usada em postos de carregamento de veículos elétricos, uma vez que permite armazenar energia da rede e carregar o automóvel de forma rápida sem ser necessário instalar novas redes de energia para alimentar os carregadores.
Neste momento, a tecnologia é a base de uma nova empresa, a Avanti, que já patenteou o sistema. O próximo passo é provar que a bateria pode ser usada em escala e fazer vários testes para ver se suporta uma forte utilização.


Fonte: Away

PARTILHAR
Iniciar sessão to leave a comment